As personas por trás das marcas

Difícil falar aqui do digital influencer sem nos remetermos aos famosos e às blogueiras. Vamos por partes e começar pelos famosos. Porque, se formos pensar, eles sempre foram influenciadores. Se não os famosos, eram os colunáveis, muitas vezes eleitos como os embaixadores da marca. E sempre existiu a relação da marca com uma persona. Poderia ser no formato de propaganda, Merchant ou até mesmo embaixador. Esta relação marca – persona, portanto, não é nova. Porém, até pouco tempo atrás estas personas eram, geralmente, pessoas consolidadas na mídia tradicional, como atores e atrizes cantores e cantoras, jogadores de futebol, apresentadores de televisão e por aí vai. Bom, em meados dos anos 90 começaram os fóruns de discussão e diários online que permitiam a exposição dos usuários de uma determinada comunidade em caixa de diálogo. Em um determinado momento, esses comentários foram organizados de forma cronológica como componentes de sites, facilitando o advento de ferramentas próprias para blog. E foi no início do ano 2000 que surgiram ferramentas que criavam condição de pessoas comuns tornarem-se blogueiras. Isso permitiu que a pessoa comum expressasse sua opinião, conectando-se com milhares de outras a partir de uma ideia, situação ou contexto. A evolução tecnológica colaborou para este movimento na internet, ao mesmo tempo que os reality shows imperavam nas telas de televisão. Todo mundo tinha direito aos seus cinco minutos de fama. E, nos blogs, expressar sua opinião. (Patricia Buarque)

As personas por trás das marcas

Foto: www.kompasiana.com